Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Auxílio Emergencial: quem precisa antecipar o saque pode recorrer a fintechs como Nubank

  • Roberta R 

O governo anunciou a terceira parcela do auxílio emergencial, mas algumas pessoas não vão conseguir sacar o dinheiro tão cedo. Isso porque o calendário de saques e transferências foi feito com base no aniversário dos beneficiados. Mas calma porque existe uma saída!

PUBLICIDADE

Para quem já recebeu as duas primeiras parcelas, a terceira parcela vai ser liberada em dois estágios: primeiro, o dinheiro vai ficar disponível para pagamento de contas, via boletos, e compras através do cartão virtual. Mas se você precisa do dinheiro vivo, existe uma opção.

Conferiu o calendário e o seu saque ta previsto apenas para o mês de agosto, por exemplo? Através de uma fintech, como nubank ou pagseguro, você pode driblar esse calendário. Basta que você tenha conta em uma dessas empresas para conseguir fazer a transferência.

PUBLICIDADE

Quem tem conta nubank, por exemplo, sabe que para depositar dinheiro na conta existe a opção de pagar com boleto. O aplicativo gera um boleto no valor que você define e depois você paga, normalmente, como se fosse um conta qualquer.A diferença é que, nesse caso, o valor pago no boleto vai cair na sua conta nubank. Dessa forma, você pode, em poucas palavras, transformar o dinheiro virtual do auxílio emergencial em recurso físico, já que essas fintechs oferecem transferências ilimitadas, geralmente.

O melhor disso tudo é que se trata de uma forma segura, regular e legal para movimentar seu dinheiro. Esse tipo de depósito é regulado e aprovado pelo Banco Central. É claro que são necessários alguns cuidados, por exemplo, não transfira o dinheiro para conta de terceiros.

Pagbank, mercado pago, nubank e picpay são algumas das fintechs que oferecem essa opção de depósito. Mas existem outras no mercado brasileiro que oferecem a mesma opção, pesquise e faça o resgate seguro do seu dinheiro.

O governo adotou este calendário sob a alegação de que queria evitar a aglomeração de pessoas em agências da caixa.