Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Bolsonaristas atacam profissionais da saúde em manifestação na Praça dos Três Poderes

  • Roberta R 

Em manifestação de 1º de maio, um grupo de profissionais da saúde se deslocou até a Praça dos Três Poderes, em Brasília, para protestar contra as condições de trabalho em meio a pandemia do novo coronavírus. A manifestação pacífica era composta por enfermeiros e técnicos que se mantiveram a distância portando cartazes e símbolos, de forma slenciosa.

PUBLICIDADE

O ato também foi marcado por orientações em favor do isolamento social. Uma faixa estendida no chão reforçava as medidas de isolamento social, pedindo que as pessoas permanecessem em casa. Em nota, o Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal afirmou que a manifestação tinha três princípios centrais: a defesa da categoria, defender o conhecimento científico no combate a pandemia e homenagear os profissionais da área de todo o Brasil que tem trabalhado no combate a pandemia, especialmente aqueles que perderam as vidas.

Um grupo de bolsonaristas, apoiadores de Bolsonaro e seu governo, se aproximou da manifestação e começou uma série de ataques aos profissionais. O grupo se dirigiu a alguns profissionais e começou um ataque com provocações e ataques. Nos vídeos, é possível ouvir membros do protesto gritando ao fundo para que os colegas não reagissem as ofensas.

PUBLICIDADE

“Eu tenho berço, ta me ouvindo? Sua medíocre”, esbraveja um homem completamente descontrolado. “Nós vamos varrer o comunismo”, continua gritando. Em vários momentos, o homem chama o grupo de esquerdopatas, comunistas, medíocres. A mulher, que também não foi identificada, aparece algumas vezes perguntando ao grupo se querem “passagens para a

https://www.youtube.com/watch?v=uk0BBsRyeYY

A ação dos profissionais da saúde foi encerrada depois que um homem, não identificado, que estava no grupo de bolsonaristas, se excede completamente e agride fisicamente uma das enfermeiras que participavam do ato. Rapidamente, colegas da profissional se aproximaram para evitar que uma agressão mais contundente acontecesse.

O Sindicato de Enfermeiros emitiu uma nota de repúdio a ação dos grupo, “fascistas e antidemocráticas”, segundo avaliação do SindiEnfermeiros. A nota também prestou homenagens as enfermeiras que foram vítimas do ataque e repudiou as atitudes do governo que embasam a ação de grupos como aquele que atacou o ato dos profissionais. O Sindicato encerrou a nota com a campanha “Lute como uma enfermeira”.