Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Caso da cobra naja: polícia agora investiga se veneno do animal era usado para fabricação de drogas sintéticas

  • Roberta R 

A polícia ainda investiga o caso das cobras no Distrito Federal, mas o caso ainda pode ter novos desdobramentos. O caso veio à tona depois que Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, de 22 anos, foi hospitalizado.

PUBLICIDADE

No hospital, foi descoberto que o rapaz havia sido picado por uma cobra que não existe no Brasil. Autoridades foram acionadas e o caso acabou se tornando uma investigação por tráfico de animais. Em recente decisão, o Ibama multou o jovem e sua família em R$78 mil.

Apesar da multa do Ibama, o caso ainda está sendo investigado pela polícia. A polícia investiga agora se o veneno das cobras, especificamente da cobra naja, vinha sendo usado para fabricação de drogas sintéticas e alucinógenos.

PUBLICIDADE

Na época do resgate dos animais, foi divulgado que as cobras recuperadas estavam em condições de maus-tratos. Os animais foram encaminhados para o zoológico de Brasília, onde vão receber melhores cuidados.

Pedro Lehmkul ainda pode sofrer outras penalizações, caso seja indiciado por tráfico de animais. O caso ainda está em investigação, mas alguns desdobramentos podem piorar ainda mais a situação do jovem em frente a Justiça.

O rapaz chegou a ficar em coma induzido depois de ser picado pelo animal, mas já recebeu alta e agora se recupera em casa. O jovem foi multado em R$61 mil pelos animais, enquanto os pais dele foram multados em R$8,5 mil cada por terem dificultado a localização da cobra.