Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Depois de ser declarada morta equivocadamente, idosa encontrada viva em necrotério morre agora; investigadores acreditam que o estresse da experiência pode ser a causa

O caso de Zinaida Kononova, de 81 anos, é uma daquelas tragédias que ninguém sabe nem sequer por onde começar a entender. A idosa foi internada para uma cirurgia de emergência, para a remoção de um bloqueio intestinal. Até aí, tudo bem.

PUBLICIDADE

No entanto, depois da cirurgia os médicos declararam a morte da idosa e, por volta de 1 da madrugada do dia 14 de agosto, ela deu entrada no necrotério do hospital. Horas depois, no entanto, ela acordou e tentou escapar, caindo da mesa.

A idosa foi encontrada no chão por uma enfermeira, ja por volta das 8h da manhã, e logo foi levada para a UTI. Kononova ficou alguns dias recebendo os cuidados e depois faleceu. Agora, investigadores tentam determinar qual foi o verdadeiro motivo da morte da idosa.

PUBLICIDADE

O corpo médico que atendeu a idosa alega que ela esteve “biologicamente morta” por cerca de 1 hora e 20 minutos antes de ser mandada para o necrotério. No entanto, as orientações médicas exigem que o indivíduo esteja morto por pelo menos 2 horas antes do procedimento.

Agora, investigadores do estado tentam mensurar o quão responsável pela morte da idosa foram os médicos. O chefe do hospital acabou sendo suspenso depois do episódio e deve permanecer até que as investigações sejam concluídas.

Os médicos também alegam que o procedimento de ressuscitação durou cerca de 30 minutos mas que não houve resposta do organismo da idosa. Agora a família pretende processar o hospital.