Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Filha transgênero de rabino ultraortodoxo diz que rezava a Deus todos os dias para que a transformasse em mulher

Abby Stein, filha de um rabino ultraortodoxo, nasceu menino, mas tinha uma grande convicção de que era mulher. Quando se declarou transgênero, ela causou comoção na comunidade judia hassídica ultraortodoxa.

PUBLICIDADE

Stein é descendente de Baal Shem Tov, fundador do judaísmo hassídico. A jovem certamente seria um rabino, mas já possuía convicção de que não era um menino, mas, sim, uma menina.

Quando nasceu, foi uma grande alegria, porque para seu pai foi motivo de festa ter um filho homem considerado como primogênito para assumir seu lugar de rabino no futuro. Os pais tiveram 5 filhas e só depois nasceu Abby. Por isso seu pai contava a ela, quando ainda era ele, que quase desistiu da ideia que teria um filho homem antes de seu nascimento. Em razão disso, Abby relata que se sentiu muito mal durante toda a sua infância, um sentimento de culpa tomou conta dela por não ser aquilo que seu pai queria que fosse.

PUBLICIDADE

Abby disse que não sabia se existiam outras pessoas como ela, na comunidade dela ninguém jamais falava sobre esse assunto. A judia contou que a única coisa que a dava força era sua grande imaginação. Aos 6 anos, o então “menino” começou a colecionar recortes de revistas sobre transplantes de órgãos, porque pensava em um dia fazer um transplante e se tornar uma mulher.

Páginas: 1 2