Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Jornalista demitida da Globo reforça acusação de assédio contra ex-chefe e afirma ter provas

Ellen Ferreira chamou a atenção da mídia nacional ao denunciar uma suposta perseguição da Rede Amazônica, afiliada da rede Globo, em demiti-la após uma denúncia por assédio contra o ex-diretor de jornalismo da emissora, Edison Castro.

PUBLICIDADE

A notícia acabou gerando grande repercussão e ganhou novos desdobramentos depois que Castro foi a público afirmar que a denúncia é parte de uma “campanha difamatória” contra ele. Castro acusa Ellen de “arrogância” depois da participação no Jornal Nacional.

Ellen chegou a afirmar, em entrevista a Leo Dias, que uma ex-funcionária de Edison Castro, uma repórter de Roraima, chegou a tentar tirar a própria vida em decorrência dos assédios cometidos pelo ex-chefe.

PUBLICIDADE

As repostas dadas por Edison Castro levaram Ellen a se manifestar mais uma vez, dessa vez pelo Facebook pessoal, sobre o assunto.

https://www.facebook.com/ellen.ferreira.5015/posts/3173592049428105

Ferreira rebateu as acusações do ex-chefe e afirma que existem provas e testemunhas sobre os casos de assédio que sofreu pela mão do ex-chefe enquanto era subordinada dele. Na mesma publicação, Ellen também deu a entender que não comentará mais o caso.

A jornalista afirmou que o caso já foi encaminhado ao sindicato dos jornalistas e Ministério Público do Trabalho, além de revelar que possui depoimentos de outros profissionais, de outros estados, que também trabalharam com Edison.

Edison falou ao Roraima 1 e afirmou que vai tomar medidas civis e criminais contra os envolvidos no que classifica como “execução pública” contra ele. Castro acusa Ellen de ter sido “arrogante” e “agressiva” e afirma que isso causou sua demissão.