Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Jornalista que denunciou assédio do ex-chefe é demitida de afiliada da TV Globo

  • Roberta R 

A TV Globo se vê envolvida em uma polêmica depois do desligamento da jornalista Ellen Ferreira. A jornalista atuava pela Rede Amazônica, afiliada da Globo em Roraima, e foi notificada da demissão quando voltou ao trabalho.

PUBLICIDADE

Ellen estava afastada por ter sido diagnosticada com o novo coronavírus, mas ao voltar para o trabalho descobriu a notícia. O caso veio a tona depois que a jornalista conversou com Leo Dias, da Metrópoles, sobre o assunto.

Ferreira acredita que há relação entre a denúncia que fez contra Edison Castro, seu ex-chefe, e a demissão. A jornalista não acreditou que sua demissão se deu por “reformulação da equipe”, como teria sido alegado pela Rede Amazônica.

PUBLICIDADE

No e-mail trocado com Leo Dias, a jornalista acusa Edison de ser “Homofóbico, racista, gordofóbico” e praticar “assédios” constantes. Ferreira chega a chamar o ex-chefe de “psicopata”. De acordo com Ellen, uma ex-subordinada de Edison chegou a tentar tirar a própria vida por conta dos assédios.

No ano passado, Ellen chegou a apresentar o Jornal Nacional durante o rodízio comemorativo da atração.

Ellen afirma ainda que procurou Ali Kamel, diretor de jornalismo da Rede Globo, depois de não conseguir apoio local contra o ex-chefe. Kamel confirma que recebeu o e-mail e afirma que tomou as medidas cabíveis.

A Rede Globo, no entanto, destacou por meio de nota que as redes afiliadas detêm independência administrativa, apesar de comungarem “dos mesmos princípios editoriais”. A jornalista procurou o Ministério Público do Trabalho, em junho.

No dia 29, Edison acabou sendo desligado do cargo. Ellen achou que o problema havia sido resolvido, mas foi surpreendida com a demissão ontem, 23. Procurada pela reportagem do Uol, a Rede Amazônica ainda não se pronunciou. Edison não foi encontrado.