Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Jovem faz gol e morre eletrocutado enquanto comemorava; família ainda luta por justiça

Há cerca de um ano, a família de Gustavo Nogueira da Silva se despediu do jovem pela última vez. Aos 18 anos, Gustavo jogava futebol com amigos na quadra perto de casa quando teve a vida interrompida por uma descarga elétrica.

PUBLICIDADE

O jovem correu para comemorar o gol na grade da quadra, mas foi eletrocutado. Desde o acidente, a família alega que a praça era mal administrada e que a companhia de energia local era omissa em relação as denúncias dos moradores.

Agora, um ano depois, a família ainda espera por Justiça. Em nova entrevista, os pais do jovem explicam que muitos outros moradores já haviam tomado choque naquela quadra e haviam notificado a Companhia Energética de Brasília (CEB), sem obter resposta.

PUBLICIDADE

Na época, o pai do jovem chegou a afirmar que o acidente era uma “tragédia anunciada”. Gustavo nem chegou a ser levado para o hospital, ele foi socorrido pela Samu, mas já era tarde demais.

A mãe do jovem, Adenilda Nogueira, afirma que chegou a ver o corpo do filho na quadra. O acidente aconteceu próximo a casa da família e ela foi avisada pelos próprios amigos do garoto, que correram para pedir ajuda.

Um vídeo, divulgado pelo portal Metrópoles, mostra o momento em que Gustavo recebia atendimento do Samu e Corpo de Bombeiros:

De acordo com a Polícia Civil, o inquérito foi encerrado sem que fosse apontado um suspeito. O documento seguiu para o TJDF que determinou o arquivamento do caso em janeiro deste ano. A família cobra a penalização dos responsáveis.

Assista a reportagem sobre o acidente: