Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Mãe do menino que foi estuprado e morto por suzy diz o que ela sentiu quando viu a reportagem

Esta que foi a matéria que emocionou o Brasil por conta das altas emoções e do sofrimento que alguem assim teve que passar.

PUBLICIDADE

No dia primeiro deste mês, foi feita uma reportagem que foi veiculada pelo programa Fantástico, que foi conduzida pelo médico Dráuzio Varella, ele movimentou a internet depois de mostrar a vida do preconceito e o abandono das detentas trans que estão nas unidades de prisões masculinas.

Uma das histórias que foram mostradas foi a de susy Oliveira, que emocionou os telespectadores com um destaque no abraço sensível que o médico deu nela, Dráuzio atua a tempos como um voluntario nas penitenciárias.

PUBLICIDADE

Porem em meio a tanta emoção, foi descoberta o porque da trans estar presa. Em maio do ano de 2010, suzy, cujo o nome de batismo é o Rafael Tadeu de Oliveira Santos, matou e estuprou por estrangulamento uma criança de 9 anos de idade.

Como diz o processo contra a presa, ela teria deixado o corpo da vítima apodrecer na sua sala durante 48 horas. Esta informação foi confirmada por a Secretária da Administração Penitenciária.

Na segunda feira deste dia 9, a mãe da criança, disse pela primeira vez sobre o caso e se mostrou indignada com a reportagem do programa.

“ por mim, foi um baque bem grande. Inclusive, quando eu assisti a matéria, fiquei com dores de cabeça. E fiquei tremendo até agora”, disse a empregada doméstica a Aparecida dos Santos pro programa Alerta Nacional, da RedeTV.

Foi questionada por o que teria a indignado, e ela lamentou: “Foi dele ter recebido um abraço, receber varias cartinhas, e receber ainda um bombom na cadeia? E eu recebi o que ? Nada! Nada nestes últimos dez anos”.