Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Menino de apenas 4 anos morre baleado depois de cantar parabéns em seu aniversário

  • Roberta R 

Uma festa de aniversário terminou com um final trágico e revoltante em Piabetá, distrito de Magé, no interior do Rio de Janeiro. O menino Enzo estava comemorando seu aniversário de 4 anos, em uma festa que vinha sendo esperada ansiosamente, quando um tiro inesperado atingiu seu peito, provocando sua morte.

PUBLICIDADE

A polícia prendeu Pedro Vinícius de Souza Pevidor, de 21 anos, em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e homicídio culposo. O jovem estava na festa e alega que a arma caiu no chão, o que teria provocado um disparo acidental. A família da outra versão para o caso e cobra que a justiça seja feita em nome de Enzo.

A mãe do menino afirmou em depoimento que ouviu uma discussão de Pedro com as crianças e o som do tiro foi ouvido logo depois dessa briga. O pai do menino Enzo, por sua vez, afirma que Pedro abraçou Enzo antes de disparar contra ele. A Polícia ainda investiga o caso para descobrir a real cronologia dos fatos.

PUBLICIDADE

Segundo informações da polícia, o menino foi levado para o Centro de Pediatria de Piabetá, mas não resistiu. Pedro Vinícius foi preso no local, em flagrante, e arma que ele portava ilegalmente foi apreendida. A Secretaria de Estado de Vitimados (Sevit) afirmou que esta prestando atendimento social e psicológico aos familiares da vítima.

Em um áudio de aplicativo de mensagens, o pai de Enzo contou sobre como o menino estava ansioso com a festa. A comemoração com tema do super herói Hulk vinha sendo antecipada há mais de um mês e Enzo estava realmente feliz no dia em que finalmente ele iria comemorar seu aniversário. Douglas Brasil, pai de Enzo, é um animador de festa conhecido na região.

Brasil falou sobre como tudo aconteceu e explicou que impediu a fuga de Pedro Vinícius. Ele afirma que conseguiu tomar a chave do carro e a arma do rapaz e o impediu de fugir. Ainda em áudio, que circula na rede, Douglas conta que as pessoas na festa o incentivaram a disparar contra Pedro Vinícius e fazer justiça com as próprias mãos, mas que ele não faria isso.

Convidados contam que Pedro não era convidado da festa, mas era conhecido de parentes. Eles contam ainda que o jovem parecia instável emocionalmente e confirmam a versão de que ele abraçou Enzo antes do disparo. Nas redes sociais, Pedro costumava postar fotos com uniforme militar e demostrava admiração e orgulho da profissão.