Pular para o conteúdo
PUBLICIDADE

Obesidade e até gravidez são fatores de risco para casos de trombose, complicação agravou o quadro do apresentador Rodrigo Rodrigues

O apresentador Rodrigo Rodrigues, do SporTV, não resistiu as complicações da infecção por coronavírus e faleceu hoje (28). Rodrigues tinha 45 anos e estava internado há 15 dias, desde o diagnóstico.

PUBLICIDADE

Rodrigo precisou passar por procedimento para reduzir a pressão intracraniana depois de sofrer uma trombose venosa cerebral. O procedimento, no entanto, não foi suficiente e hoje o Hospital confirmou a morte encefálica do jornalista.

Em entrevista para o canal CNN, a cardiologista Ludhmila Hajjar explicou que o quadro de trombose não é incomum em casos de covid-19. No entanto, a doutora ressalta que coágulos nos vasos sanguíneos do cérebro, como o que afetaram o apresentador, não são tão vistos.

PUBLICIDADE

Ainda de acordo com a doutora, ao todo, somando todos os casos do mundo registrados em literatura médica, foram menos de 60 casos. A médica ainda destacou que a obesidade interfere diretamente nesse caso, sendo um fator de risco.

Muitos fatores podem influenciar o desenvolvimento de trombose, como tabagismo, doenças reumatológicas, obesidade, gravidez, doenças hereditárias e cirurgias. Quando o coágulo acontece no cérebro, se torna muito mais fatal.

A médica ainda explica que nem sempre é possível contornar o quadro, como infelizmente foi o que aconteceu com o apresentador. Existem casos em que mesmo com a intervenção médica, o dano causado pelo coágulo pode ser grave demais.

Rodrigo chegou a passar por cirurgia para contornar o quadro de trombose venosa cerebral, mas infelizmente não foi possível.